terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Ah!! Diversidades..

Por que é tão difícil respeitar ou lidar com opiniões e pontos de vista diferentes dos nossos?

Respeitar e aceitar com resignação as crenças, atitudes e valores não semelhantes aos nossos, pode tornar-se uma tarefa árdua.

Tendemos a achar que a nossa visão de mundo é a “correta”, quando não há um só correto porque na verdade, todos estão na vida nas mesmas condições: sem manual de instrução e sem conhecimento da verdade absoluta! Então, nada mais fazemos do que tatear por mundos desconhecidos tentando achar um lugar, um nicho ao qual caibamos.

Cada um constrói baseado nas experiências pelas quais passamos ao longo da vida, o seu conjunto privado de “verdades” decorrente dos resultados de nossas ações, reações e das situações que a vida nos apresenta.. E logicamente adicionado a educação familiar e religiosa que recebemos.

É por este motivo talvez que tenhamos dificuldade em aceitar verdadeiramente (sem o julgamento interno, e muitas vezes até uma silenciosa condenação) as opiniões divergentes das nossas.

Não estamos na pele do outro, não calçamos seu sapato para saber onde o calo apertou ou ainda aperta. Temos dificuldade de colocar-nos no lugar de outro e olhá-lo com compaixão.

Na maioria das vezes, o instinto primário é a disputa de poder. Querer fazer valer o que você pensa, provar que sua idéia é a acertada e convencer as pessoas de algo que só pertence a você.

Seus valores são uma conquista sua! Podemos partilhar quando perguntados, e talvez apontar uma nova direção para a pessoa que nos questionou, mas não devemos tentar doutrinar ninguém, pois é pura invasão de espaço.

É por isso que não considero uma tarefa fácil, “aceitar” sem restrição, sem o diálogo interno discordando...

A idéia, é trazer às claras padrões de comportamento automáticos, mecânicos e quase sempre inconscientes que podemos mudar dando-nos conta de que eles existem.. Afinal, só temos chance de modificar algo se soubermos da existência de tal.

Sendo assim, fica aqui o lembrete!

2 comentários:

Elisa Maria Campos disse...

É uma pergunta que realmente intriga.Aceitar o diferente requer o exercício da humildade. Ser humilde, no significado mais sublime da palavra, requer desapego (de valores, ideias, posturas etc) e maturidade espiritual difíceis de serem alcançados. Por outro lado, quando paramos para "descobrir" o diferente, podemos trocar o distanciamento por encantamento e sem dúvida, tiramos pra vida uma bela lição. Lindo texto, parabéns pelo blog, muito bacana!

Vanessa Souza Moraes disse...

Gente julgadora é um tédio...

http://vemcaluisa.blogspot.com/